O vereador do (PTdoB) Dr. Marcio Henrique pediu que fosse criada na câmara municipal a comissão de ética parlamentar, seria segundo o vereador um instrumento de manejo para medir o comportamento dos edis. É muito comum nas reuniões ordinária os nervos se aquecerem quando cada um defende sua tese.

E no calor da emoção as vezes momentos indelicados e até desrespeitosos podem acontecer, e uma comissão de ética terá como missão avaliar a conduta e teor de cada discussão aplicando o regulamento devido para cada situação.

Dr. Marcio colocou que pelo menos dois pedidos de criação de comissões foram feitos pedidos mais que até agora não se consumou a criação das comissões, e o que ele teme é que os requerimentos caiam no esquecimento. É o que colocou Dr. Marcio quando utilizou a tribuna para suas matérias escritas.

Depois munido de legitimidade o vereador ao final da seção retornou à tribuna para fazer uma espécie de desabafo, dá uma resposta a favor da classe dos médicos.

O vereador coloca que por três vezes a saúde foi questionada por companheiros da casa colocando a culpa de algumas irreguridades como se fosse culpa única e exclusiva do médico.

Sentindo que sua categoria estava sendo colocada contra a parede o médico e vereador pediu autorização novamente fez uso da tribuna chamando a tenção dos edis para que vissem se as falhas são dos médicos ou de um sistema que alimenta a saúde no Brasil.

Voltou um pouco no tempo para um programa implantado no governo da ex-presidente Dilma e falou do Mais médico programa que apareceu para salvar a pátria, no entanto segundo ele nada foi solucionado. O que para o edil não é o médico a chave do problema.

Colocou ainda que no PSF o atendimento não é de urgência, e sim, de prevenção. Portanto o que manda a regra na medicina da saúde da família é que o atendimento deva ser feito por grupo.

Há dias para gestante, hipertenso, diabéticos e assim sucessivamente, atender por grupo é o que deveria ser feito, no entanto se atende uma demanda bem maior. Nessa colocação o vereador tentou responder a um questionamento levantado na casa de um não atendimento porque o profissional de saúde estava a atender determinado segmento do dia.

Veja mais