Faleceu no início da tarde deste sábado (10), aos 81 anos, um dos mais respeitados músicos do Ceará, representante da sanfona e da cultura regional: José Tomás Sobrinho, conhecido popularmente como Zé de Manu. Desde janeiro, o músico estava internado e lutava para superar complicações pulmonares. O velório será em Fortaleza, enquanto o sepultamento ocorrerá em Cedro, sua cidade natal.

Ainda cedo, Zé de Manu descobriu sua vocação para a música. Aos seis anos, dividia o tempo entre a escola, o trabalho na roça e os instrumentos musicais. “Na roça, pegava um talo de milho e fazia uma espécie de cavaquinho, com cordinhas e tocava”, disse em entrevista ao Blog Várzea Alegre. Foi quando sua mãe, sensível às suas habilidades, comprou-lhe um cavaquinho, conta. Tocou ainda banjo e violão. Com um tio, aprendeu a tocar fole de oito baixos e se apaixonou pelo instrumento musical.

O interesse pela sanfona surgiu aos 14 anos, quando o tio Jaca comprou uma sanfona de 80 baixos e nunca mais deixou o acordeon. “Paixão não, é amor”, ratificou. Sua maior referência, além do tio, foi Luiz Gonzaga. Tinha “Asa Branca” e “Assum Preto” como músicas favoritas. Com o “Rei do Baião”, Zé de Manu tocou por sete anos, participou das festas no Parque Asa Branca, em Exu, e foi um dos artistas que recebeu de presente do ídolo uma sanfona.

Zé de Manu ficou conhecido e foi reverenciado por sua atuação na casa de show Kukukaya, em Fortaleza, onde tocou o autêntico forró pé-de-serra por mais de 10 anos. Amigo do PCdoB, participou de inúmeros eventos, como campanhas, festas e jantares partidários. Perdemos uma referência da música e da cultura cearense.

Mais

O velório acontecerá na funeráriao Ethernus (Rua Padre Valdevino, 1688 – Aldeota) das 19h às 22h. Em seguida o corpo segue para o Cedro, onde será sepultado.

Em Cedro o corpo de Zé de Manu foi velado na Funerária Padre Cícero ( ao lado da Secretária de Ação Social). Sepultamento será às 10h, horário da missa na Igreja Matriz

http://vermelho.org.br