A copa da árvore foi arrancada do caule

A avenida Neném Marinheiro continuada pela Vicente Alves Costa, trecho compreendido entre o bairro Alto do Tenente e Riachinho, já foram palco de inúmeros acidentes envolvendo as árvores que fazem a paisagem do canteiro central. Construída na gestão do ex-prefeito João Eufrásio as avenidas na época receberam árvores como forma de embelezar a cidade e servir de amparo contra o sol.

Os anos se passaram e os caules foram ganhando resistência e aguentando fortes impactos, porém, para a fúria do transito não há forte que não se resuma ao pó. E ao longo dos anos muitas dessas árvores foram arrancadas, quebradas por impactos de veículos automotores.

Assim como as árvores pessoas também já sofreram serias sequelas e muitos tiveram até a vida ceifada por acidentes envolvendo as árvores do canteiro central das avenidas. O último registro de abalroamento nas plantas foi registrado na madrugada do domingo 24 de junho.

Um veículo não identificado acabou colidindo com uma árvore da avenida nas proximidades da entrada do bairro Varjota, onde o automotor quebrou a planta ao meio e a arrastou por alguns metros, mesmo com o impacto o condutor conseguiu seguir viagem.