Na presidência do Senado atualmente, Eunício Oliveira não foi reeleito neste domingo (7) e deixará o Congresso Nacional após oito anos, já que ficou em terceiro lugar na disputa, com 16,93% dos votos apurados pelo TSE até as 22h38. 

Ao contrário do que apontavam as pesquisas, a segunda vaga do Ceará ficou, surpreendentemente, para Eduardo Girão, que obteve 17,10% dos votos. Já Cid Gomes ficou com a primeira vaga com 41,58% dos votos, tornando-se o político mais votado da história cearense.

Eunício neste pleito na corrida pelo voto se aliou ao seu opositor Camilo Santana que inclusive nas eleições passadas foi seu adversário forte na disputa pelo governo do estado, onde foi derrota mesmo no inicio da campanha as pesquisas mostrando favoritismo para Eunício, na oportunidade Camilo junto com os Ferreira Gomes, conseguiram desbancar a maioria imposta pelas pesquisas e terminaram vitoriosos.

Desta vez Eunício apostou numa aliança com o Camilo que o levou aos palanques, porém, não conseguiu que as pessoas entendesse a proposta de reelegere-lo, e terminou perdendo a segunda vaga do senado para o Eduardo Girão.

Perfil

Eunício Oliveira nasceu em Lavras da Mangabeira, em 1952. Aos 12 anos de idade veio com a família para Fortaleza. Quando estudante, ele participou de movimentos estudantis vindo se filiar mais tarde, quando empresário, ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB) – que passou a ser PMDB e, no início deste ano, voltou a se chamar MDB.

Eunício é formado em Administração de Empresas e Ciências Políticas pelo Centro Universitário de Brasília. Ele entrou na vida pública em 1998, quando se tornou presidente do MDB no Ceará. Eunício foi deleito deputado federal durante três eleições consecutivas – em 1998, 2002 e 2006.

Eunício foi Ministro das Comunicações de 2004 a 2005, durante o governo Lula. Ele foi eleito senador pelo Ceará em 2010, sendo o mais bem votado da história do Estado. Em 2017, Eunício se tornou o presidente do Senado e Congresso Nacional, eleito pela maioria.