A bancada de oposição demonstrou unidade durantes os dois anos de legislatura. O vereador Michael Martins figurou como vice-líder da bancada e desempenhou um papel importante dando sua parcela de contribuição para os acirrados debates na casa do povo.

O final do ano foi chegando e junto a renovação da mesa diretora que até primeiro de janeiro está sob a competência do Alan Salviano vereador do (MDB). E para fechar os trabalhos do ano de 2018 o vereador do (PT) ainda se candidatou a concorrer à presidência do poder legislativo, mesmo sabendo que sua bancada era minoria, ele resolveu fazer valer o fator democracia concorrendo a eleição da câmara.

Foi um ponto positivo quando o edil tentou mostrar que mesmo você sabendo que a probabilidade de vencer seja mínima vale a pena seguir em frente, e não se acovardar e recuar em forma de obediência ao seu opositor simplesmente por ter chances reais de vender o embate.

Indagado de como classificaria os trabalhos nestes dois anos o vereador foi direto, quando disse que as conclusões dos trabalhos estavam se dando da melhor maneira possível. Fazendo valer o direito de vigilância e questionando diante dos contrapontos.

Quando perguntamos quanto a homenagem a Padre Mota ele demonstrou insatisfação uma vez que gostaria que a solenidade fosse exclusiva ao cinquentenário de Padre Mota.

Por fim buscamos saber do resultado da eleição, aí o vereador disse que só estranharia um dos seus aliados não lhe acompanhar, porém, o resultado era carta marcada.