Na manhã de ontem terça-feira 29, aconteceu mais uma reunião de alocação das águas do açude olho d’água o Alberto Medeiros gerente da Cogerh faz avaliação da capacidade do açude olho d’água, tanto a redução da cagece como a limpeza do vale contribuíram para que o reservatório chegasse a esse período do ano em boas condições.

Quanto a informação se caso não houver recarda do açude esse ano o gerente afirma que o mesmo terá condições favoráveis de atender todo o ano de 2020, isso se não houver recarga alguma.

Bom Marcos e ouvintes, mas, como nem tudo são flores na reunião foi levantada uma questão bastante séria que seria a obstrução da válvula de captação, essa já foi obstruída tempos atrás teve que ser elevada seis metros de distancia da parede para voltara a funcionar. Vale salientar que parte dessa obstrução se dá pela enxurrada de rejeitos quando é feita a lavagens dos filtros que purificam a água que é demandada para a comunidade.

Uma observação é que com o passar dos anos o reservatório foi passando por assoreamento e após a primeira obstrução identificou-se que o açude teve uma redução de capacidade do açude de 21 milhões de metros cúbicos para 19 milhões. Então agora com a nova obstrução fica evidente que novamente houve aumento de resíduos e a válvula terá que novamente ser levantada.

Outro ponto preocupante é que com a válvula obstruída é mais uma preocupação para com as possíveis chuvas de grandes proporções pluviométricas.