Esta é a última semana para que produtores rurais compareçam a uma unidade de atendimento da concessionária Enel Distribuição Ceará e comprovem que exerce atividade de agricultura, pecuária ou aquicultura. A medida é necessária para que o Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) não incida sobre a fatura de energia elétrica. No início do mês o Governo do Ceará prorrogou o prazo até o próximo dia 31 de maio.

O adiamento foi definido em reunião na sede da Secretaria da Fazenda do Ceará (Sefaz-CE), onde estiveram presentes representantes da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), da Agência Reguladora do Estado do Ceará (ARCE), da Enel, da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Ceará (FETRAECE) e da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (FAEC).

A prorrogação do prazo considerou a baixa adesão de produtores rurais. A Enel informou que, dos 550 mil clientes da classe rural que a empresa possui, apenas 27% haviam se cadastrado até a última terça-feira (30/04), data em que terminou o prazo, de acordo com o Decreto n◦ 32.847, publicado em 31 de outubro de 2018.

A norma determinou um prazo de 60 dias, a contar da data da publicação, para que a Enel encaminhasse aos consumidores da classe rural um formulário para a confirmação de dados cadastrais. Logo após, começou a contar um prazo de 120 dias para que o cliente comprovasse sua condição de produtor rural e efetuasse o cadastramento.

Na reunião, foi acordado ainda que consumidores da classe rural, pertencentes à subclasse residencial rural, com média de consumo abaixo de 140 KW nos últimos 12 meses não precisarão mais realizar o cadastro. As novas medidas alinhadas durante o encontro constarão em um novo decreto, a ser publicado em breve.

Aqueles que não realizarem o cadastramento serão tributados pelo ICMS, podendo arcar com contas pelo menos 37% mais caras”.

De acordo com o secretário do Desenvolvimento Agrário, De Assis Diniz, “ao prorrogar o prazo para o recadastramento o Governo do Ceará dá uma demonstração de compromissa e cria mais uma vez os principais beneficiários poderem ir apresentar suas declarações”. A ação é importante para aumentar a capacidade dos produtores familiar, considera o secretário. “Fundamental para sustentabilidade dos empreendimentos da agricultura familiar”.