Quando o saneamento se apresenta sendo um problema em todas as cidades do Brasil, Várzea Alegre também tem heranças desse problema.

Quase 60% das obras de infraestrutura paralisadas no país são de saneamento básico, aponta estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI). São 429 das 718 obras de infraestrutura paradas, segundo dados do Ministério da Economia coletados pela CNI. As obras fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Nesta terça-feira (10), a especialista em infraestrutura da CNI, Ilana Ferreira, deve apresentar as conclusões do estudo na Comissão Especial que debate saneamento básico na Câmara dos Deputados.

As principais razões para as paralisações das obras de saneamento são “motivos técnicos” e “abandono pela empresa”. Há ainda problemas financeiros e orçamentários, judiciais, de desapropriação, ambientais, entre outros.

Em Várzea Alegre como não diferente do restante do País bairros como: Riachinho e Dona Rosinha sofrem com esse problema de saneamento. Mesmo tendo ocorrido avanço no município com relação a saneamento ainda é uma realidade as deficiências em algumas localidades.

Quem traz informações mais concretas é o secretário de infraestrutura Elomarcos Cândido.