Já são 10 anos de dedicação à consagração e, nesta segunda-feira (23), 14 diáconos vão ser ordenados padres em Fortaleza. Foram quatro anos de estudos de filosofia, três anos de teologia, dois anos de estágio pastoral e um ano de diaconato. A celebração eucarística de ordenação acontecerá na Catedral Metropolitana de Fortaleza, às 18h30.

Adler Trindade, de 39 anos, é um dos que vão se tornar sacerdote. Ele diz que sabia desde criança que seria padre. Acompanhante da mãe e da avó em missas dominicais, o diácono teve muitas influências religiosas, entre elas uma tia missionária com quem aprendeu a rezar o terço.

Ver a mudança de vida dele foi a motivação para a família apoiar a decisão de Adler, mesmo com a distância provocada pela vida missionária.

Segundo o novo padre, foi em Deus que ele encontrou a alegria.

“Eu passei a minha juventude buscando a felicidade nos prazeres e eu não encontrei. Com Deus, eu tive a certeza de encontrar a felicidade. o que mudou foi que eu não preciso mais buscá-la, ela veio ao meu encontro”.

Entre as expectativas com a ordenação, ser cada vez mais um instrumento de Deus para as pessoas mais necessitadas.

Sinais do Céu

O diácono Vitor Bomfim — Foto: Arquivo pessoalO diácono Vitor Bomfim — Foto: Arquivo pessoal

Assim como Adler, a trajetória de Vitor Bomfim, de 31 anos, na religião começou quando criança, por incentivo da família. No entanto, até descobrir a vocação para a vida sacerdotal foram muitas dúvidas. Mas, em 2009, o ano sacerdotal, depois de uma oração, vários sinais surgiram de que aquele seria seu chamado.

“Durante umas férias, eu fui à capela orar um pouquinho e, quando eu cheguei estava um barulho, umas senhoras reunidas, aí eu pensei: ‘não vou conseguir me concentrar’, aí resolvi me aproximar delas. O Santíssimo estava exposto e elas estavam rezando uma jaculatória (pequena oração) que dizia: ‘Dá-me Sacerdote Santo, Senhor’. E foi ali, naquele momento, que eu me rendi”, lembra.

Vitor logo recebeu o apoio da família, mesmo com o pai ainda sem entender muito bem a escolha. “Um ano depois que fui ser missionário eu recebi uma carta dizendo: ‘meu filho, deus te abençoe, conte com as orações do seu pai. Um grande abraço para os seus irmãos daí.’ Quando ele se referiu aos outros missionários como meus irmãos, eu fiquei muito feliz, porque ele foi se abrindo”.

Quando vivenciou a morte do pai, o diácono conta não ter sentido a fé abalada. “Ele faleceu segurando minha mão e nós estávamos rezando uma ‘Ave Maria’ juntos. E foi um momento muito forte para mim, de ver que realmente o céu era uma realidade muito concreta”, afirma. Hoje, a família se orgulha de ter um padre na família.

Ordenados

Além de Adler e Vitor, serão ordenados Francisco Antônio Araújo, Franco Michel Silva Galdino, Jonas Xavier de Souza Almeida, Michel Bastos Bow Itaif, Ramilson do Nascimento Silva, Thiago José Rocha Costa, Ticiano Silva Cavalcante e Vicente Tomaz de Souza Junior, todos da Comunidade Shalom. E Claudenir Maia Silva, Igor Cristino Camara, Maciel de Sousa Silva e Marlos de Oliveira Rebouças serão os ordenados da Arquidiocese.

https://g1.globo.com/ce