Para quem pensa que ser atleta é fácil, engana-se, que diga o Roberto Duarte maratonista que para manter a forma corre pelo menos 5 km por dia e escala 1.300 degraus.

O maratonista com experiência de uma São Silvestre sabe quão grande é a importância de se manter em forma. E para que isso aconteça é preciso alguns sacrifícios.

Morador do sítio Boa Vista zona rural do município de Várzea Alegre, Roberto Duarte é um vencedor. Primeiro foi a corrida que o deu a liberdade do alcoolismo, depois o Roberto não é apenas atleta das disputas de corridas, o pacato cidadão também tem suas atividades na agricultura e pecuária.

Nas primeiras horas do dia o curral com suas vacas de estimação e produção lhe conduz a primeira atividade do dia. Acorda cedo e vai de encontro ao rebanho leiteiro e faz a ordenha. Depois é hora de levar os animais a pastagem.

A partir desse primeiro passo o restante do dia é na labuta cuidando dos mais diversos serviços que se encontra na agricultura. Com o sol escaldante do Nordeste a lida não é das mais fáceis, porém, o superatleta é preparado para tamanha luta do dia a dia.

Acredito que só em acompanhar essa matéria já deve estar cansado, e o Roberto? Bom esse é uma máquina humana para enfrentar de frente a temperatura do sertão Cearense, e aí entra a paixão pelo atletismo.

Para que tenha uma ideia, da sua casa até o vizinho sítio São Vicente onde se encontra o açude Dep. Luiz Otacílio Correia (Olho D’água) a distância é de 2,5 km. Ida e vinda 5 km. Mas, não satisfeito a parte traseira da parede do açude tem uma subida com 130 degraus, e para manter o foco e o corpo em forma o Roberto realiza cinco subidas e cinco decidas nos degraus totalizando dez escaladas que corresponde a mil e trezentos degraus, é mole, então segue o maratonista que agradece sua companhia.