Desde que o estado do Ceará passou a vivenciar os bloqueios nas cidades, as medidas de isolamento social desde lá do dia 19 de março, que sempre foram e serão motivo de pontos e contrapontos nas rodas de conversas. 

Enquanto tem aqueles que temem e acreditam severamente na doença, covid-19, outros pouco fazem conta e não temem os números gigantescos de mortes e de pessoas acometidas pela doença. 

Os gestores estão tentando fazer o possível para darem transparências as ações em cada município e levar uma prestação de conta as pessoas. Parte concordam e somam unido braços, mas, alguns batem de frente e querem mesmo é ver a economia andar, quando a outra parcela, quer salvar vidas.  

Ser juiz desse tribunal não é medida fácil, encontrar saídas pior ainda, e nesse abre e fecha muitos estão perdendo a cabeça e paciência, em alguns momentos as pitadas de politicagem rolam solta. Cada um querendo se explicar e cobrar como podem.  

Leis são soberanas e devem ser obedecidas, a simpática palavra recomendação somente para os corpos antes do enterro, na verdade as normas devem ser obedecidas e doa a quem doer. 2020 está sendo o ano da maior prova de vestibular da vida, onde todos estão inscritos para a mesma faculdade. 

Todos querem acreditar que ainda é possível recuperar parte do tempo que se foi outros acreditam que este ano já foi comprometido e os estragos só podem ser diminuídos, porque estes já foram feitos.