Tão logo foram anunciados que o interior Cearense estaria em crescente de casos confirmados que a atenção foi redobrada, porém, inevitável a letalidade quando os números de contaminados aumentam significativamente.

Do primeiro óbito dia 3 de maio para os dois últimos 7 de junho foram exatamente 35 dias de intervalo, até então os registros eram de novos casos confirmados, descartados e curados, mas, no domingo 7 os números somam 3 mortes.

Na madrugada a cidade se enlutou pelo desportista Zé Ataíde 72 anos, e no começo da manhã a dona Maria Batista da Silva (Dona Toinha) 80 anos, paciente que havia sido transferida semana passada para o Regional do Icó não resistiu e foi a óbito.

Moradora do Bairro Rosinha dona Toinha é mais uma vida ceifada pela Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. A mesma era viúva e deixa 11 filhos.

Os casos confirmados são 152, segue a tentativa do governo municipal para tentar diminuir a disseminação de transmissão as normas endureceram mais ainda é pouco para uma população que tende não acreditar, e continua com sua vida noturna agitada aglomerações e bebedeiras ainda reinam na terra de São Raimundo.

Outro problema é o retorno das atividades porque enquanto não houver redução de contagio e mortes, torna-se inviável a volta normal das atividades, que poderá se estender como estão por mais uns dias, restritas as normas da saúde que é de Ficar em Casa.