O economista Ricardo Braga foi exonerado do cargo de Secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior do Ministério da Educação. A medida foi assinada pelo ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto, e publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (29).

Economista de formação, Ricardo Braga foi secretário especial de Cultura do governo Bolsonaro entre setembro e novembro de 2019, até ser nomeado para o cargo que ocupava no MEC – voltado a formular políticas para instituições de Ensino Superior.

Segundo o MEC, Braga tem sua carreira como economista construída no segmento financeiro, em gestão de pessoas e em fusões e aquisições de empresas. Ele já trabalhou no Banco Votorantim e na multinacional Andbank Brasil S.A, além de gerir investimentos com Certificação de Gestor e Administrador de Investimentos da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

No Banco Votorantim, Braga foi contemporâneo do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub, que o nomeou para trabalhar no MEC.

No início desta semana, a nova gestão do MEC, agora liderada pelo ministro Milton Ribeiro, exonerou assessores especiais considerados nomes próximos de Weintraub.

https://www.cnnbrasil.com.br/