Tão logo teve início a festa do padroeiro São Raimundo Nonato seguindo o novo normal, que é de uma festividade sem aglomerações e fluindo mesmo pelas redes sociais, nossa reportagem perguntou ao padre Davi, o que o mesmo acha dessa maneira ainda esquisita de festejar a um padroeiro.

A reposta do vigário paroquial até nos foi convincente, dando-nos a entender que devamos nos acostumar que esse período pandêmico e extrairmos dele uma nova identidade com a religião de amar mais e entender mais os projetos de Deus para nossas vidas.

Porém, a pergunta de muitos é, estaríamos vivendo parte do apocalipse? e quando indagado acerta desse assunto o padre disse, opa! Pera lá… não iremos adentrar a esse assunto mais o que aprendi no teologicamente o apocalipse tem outra versão, o entendimento é outro.

Bom certo é que a comunidade católica de Várzea Alegre hoje vive um momento atípico, começou a festa do padroeiro com ruas vazias, igreja vazia, porém, o espirito deve se embriagar das bençãos de Deus que serão emanadas durante os dez dias de festa em honra ao santo padroeiro São Raimundo Nonato, com a coordenação do pároco Monsenhor José Mota Mendes.