O Comitê da Sub-Bacia Hidrográfica do Alto Jaguaribe realiza nesta sexta-feira, 11, uma live com o tema “Debate histórico sobre o Açude Orós e o Perímetro Irrigado Icó Lima Campos”. A transmissão ocorre por meio da plataforma Cisco Webex, a partir das 19h, e pode ser acessada pelo link: bit.ly/AltoJaguaribe

Na ocasião, o historiador Erivan Anastácio irá apresentar um panorama desde a origem até a realidade atual de um dos maiores e mais importantes reservatórios do estado, o Açude Orós. Erivan é também Agente de Atividades Agropecuárias e servidor do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas – Dnocs, órgão responsável pela construção do açude.

A moderação será feita por Antônio Pereira, contabilista e Gerente Administrativo Financeiro do Sistema Integrado de Saneamento Rural; Unidade de Negócios da Bacia do Alto Jaguaribe – Sisar Unbaj. Caik Lima, estudante do curso técnico em informática da Escola Estadual de Educação Profissional Deputado José Walfrido Monteiro, participa como convidado.

Açude Orós

Também batizado de Açude Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, o Açude Orós tem uma origem que remonta à época do Brasil Imperial, quando no século XIX já se analisava a possibilidade da construção de uma barragem para combater a escassez de água no sertão cearense.  Foi só no século seguinte que as obras foram iniciadas, tendo sido inaugurado em janeiro de 1961.

Com capacidade de armazenamento em 1.940.000.000 m³, o Açude Orós deteve o título de maior reservatório do Estado até a inauguração do Castanhão, em dezembro de 2002. Entre suas amplas finalidades estão a perenização do rio Jaguaribe; irrigação do Médio e Baixo Jaguaribe; piscicultura; aproveitamento hidrelétrico; turismo e culturas agrícolas de áreas de montante.

Perímetro Irrigado

O Perímetro Irrigado Icó-Lima Campos, está localizado no Município de Icó, Estado do Ceará, na Planície do Rio Salgado, a 370 km da capital Fortaleza. Com mais de 30 anos de existência, o perímetro conta atualmente com cerca de 500 irrigantes e mais de mil associados organizados pela Associação do Distrito Irrigado Lima Campos (Adicol). Com os sete anos consecutivos de seca, o perímetro passou a fornecer apenas água para o consumo humano.

Com informações do Dnocs e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará – Ematerce.