Dos distritos do município de Várzea Alegre, o Riacho Verde ficou bastante conhecido pelo seu potencial econômico angariado através dos seus filhos que bem jovens já saiam e saem Brasil a fora com a venda de crediario, na época de início tudo começou com a venda de panelas.

Muita gente lembra do saudoso Derim que botava seus funcionários em um caminhão baú, e saia cidade a cidade levando sua mercadoria as tradicionais panelas de alumínio. Inclusive os de mais idade lembram do bordão. “Meu filho não é feio nem vende alumínio no caminhão de Derim”.

De forma que sempre o Riacho Verde manteve esse laço forte com a venda porta a porta e permanece até hoje. Em virtude dos inúmeros filhos da terra andando estrada a fora, idealizou-se e a trinta e dois anos e ainda existe até hoje a tradicional festa do viajante.

Este ano devido ser um ano diferente pela força no Novo Coronavirus, que desencadeou na terrível Covid-19, acabou mudando as ações realizadas na festa. Mesmo assim a organização procurou uma forma de realizar algo que fosse plausível e não deixassem passar em branco uma data tão importante de festas em homenagem aos viajantes.