O município de Várzea Alegre tem uma área de 835.706 km², e é subdividido em 06 Distritos: Calabaça, Canindezinho, Naraniú, Ibicatu, Riacho Verde e Sede Rural. Essa extensão territorial faz com que a Pluviometria de um Distrito como o Riacho Verde, que fica mais próximo da Chapada seja diferenciada de Naraniú, que faz divisa com o Centro Sul.

Lembrando que temos 03 Pluviômetros, cujos dados são enviados diariamente à Funceme: Um na Sede Urbana, um no Bairro Grossos sob a responsabilidade da Ematerce, outro no Sitio Boa Vista – Sede Rural e outro na Vila Riacho Verde. Os produtores reclamam que essa Pluviometria enviada à Funceme, não condiz com a realidade do Município, levando-se em conta essa diferença e distância entre os Distritos, sugerindo que, seria interessante um pluviômetro da Funceme em cada distrito.

As chuvas de pré-estação em Várzea Alegre não foram satisfatórias, choveu bem menos do que se esperava. Em dezembro choveu apenas 37,4mm, quando o esperado para o mês era de 66,51mm (-29,1mm). Tendo caído apenas uma chuva de 23,4mm dia 04/12, no restante dos dias observamos veranicos extensos e outras 5 pequenas precipitações que juntas somaram apenas 14,0mm.

Mesmo assim, como é costume de muitos agricultores, alguns plantaram em dezembro e início de janeiro, apesar da recomendação técnica ser de aguardar um pouco o início previsto da Estação Chuvosa, que se dá normalmente na 3ª semana de janeiro, entre os dias 18 e 22, normalmente. Essa chamada pré-estação é de muita importância para a quadra chuvosa, principalmente quando ela é boa ou digamos assim, emenda com a Estação Chuvosa, que aqui no sertão chamamos mesmo de Inverno.

Quanto ao acumulado de chuvas no mês de janeiro/2021 foi de apenas 55,4mm, quando a média esperada é de 155,7mm (-100,3).

Já a precipitação de fevereiro, até o momento choveu 102,8mm quando o esperado é de 187,2mm. Faltando, portanto, 84,4mm para a média esperada.

Quanto ao nível dos açudes felizmente, até o momento estão satisfatórios, o que influencia também no lençol freático, que é o caso das “veias de água” que abastecem os poços artesianos (cacimbões e poços profundos) que abastecem as comunidades, mas lembrando que, é na quadra chuvosa que esses reservatórios de águas superficiais e subterrâneas repõem suas cargas e vazões.

  • Nosso principal reservatório, o Açude Luiz Otacílio Correia, mais conhecido como Açude Olho D’Água, que é responsável pelo abastecimento humano da cidade, e que tem capacidade para armazenar 19 milhões de m³ de água, está com um volume de 7,89 milhões, ou seja, 41,5% de sua capacidade o que quer dizer que estamos relativamente bem, mas estamos aguardando recarga nesses reservatórios.

Dos 15 açudes monitorados pela Cogerh em nossa Bacia do Salgado, estamos na 6ª posição com relação à porcentagem da capacidade de volume de água. Com relação a outras Regiões do Estado, nossa Bacia do Salgado está na 5ª posição, o que implica dizer que temos 05 bacias com menos de 40% de sua Capacidade.

Veja mais