Várzea Alegre é um município de muitas terras baixas, mas, também de muitas elevações e não tem na sua totalidade um lençol freático que mantenha poços e outros reservatórios em bom volume por muito tempo.

A soma de todos esses problemas ainda acarreta um curto período de chuva que muitas vezes em determinados anos não recobra os 100% da capacidade de açude e poços artesianos.

Também falta um pouco de conforto para algumas comunidades que é ter água potável nas torneiras de casa, essa é uma dura realidade que ainda faz parte do dia a dia de muitos varzealegrenses.

Nesse contexto entra o pedido do vereador Luiz do Conselho PP que tem lutado para que alguns problemas sejam resolvidos. Nas comunidades da Varzante e Caldeirão ambas no distrito de Riacho Verde, lá parte das famílias já contam com o benefício, porém, outra parte ainda não tiveram a mesma sorte e ainda relutam por um abastecimento que chegue as suas casas.

   “Seremos a voz dessa gente produtores rurais que ainda clamam por água nas duas torneiras”.

Na Varzante e Caldeirão o abastecimento já vem lá da época do ex-prefeito João Eufrásio e naquela época a demanda era bem menor que hoje, o que compromete o abastecimento das famílias. Para se ter uma ideia no Caldeirão na época que foi construído o abastecimento atendia a metade da população hoje existente que chega a 65 famílias.

A outra comunidade a do sítio Altos na sede rural, essa tem sofrido mais, pois já houveram muitas promessas, medições só que até hoje nada saiu do papel, e as 50 famílias daquela que lá residem esperam ansiosas por esse dia, de ver água em suas torneiras.

Veja mais